terça-feira, 20 de outubro de 2015

Angústia


A angústia é viciante, sabiam?
Após aquelas duas tentativas de sair deste mundo, sem sucesso, sinto-me a coisa mais inútil à face da terra. Nem deixar de viver consigo!
Esteve aqui a pessoa mais importante para mim e eu não fui capaz de lhe falar. Só olhei para aqueles olhos aflitos e assustados e deixei-me chorar à sua frente. A minha fraqueza tinha acabado de acordar diante dos seus olhos. Mas eu já não conseguia mais. Já tinha feito o que tinha a fazer e já tinha amado o que me fora dado para amar... e foi mais do que suficiente. Eu é que fui fraca. Não consegui dizer nada. A minha voz tinha desaparecido e uma tosse seca e sem fim tomava conta de mim. Sentia-me a morrer, mas a minha vida insistia em ficar comigo! Ela deu-me a mão e contou-me a sua história. Esperava que eu a ouvisse e que não me sentisse mais sozinha. E não senti. Mas há coisas que sinto dentro de mim que não consigo explicar de maneira nenhuma. Aquela criação de ainda mais laços e toda aquela intimidade nua e crua, ali, naquele quarto de hospital, fez-me ver a verdadeira pessoa que ali estava. Alguém como eu. Alguém com sonhos apagados e realidades acesas na mente. Alguém que havia estado no mesmo lugar que eu, por motivos completamente diferentes, mas de estranha semelhança no modo de lidar com conflitos. A diferença é que ela é uma pessoa incrivelmente mais forte e determinada do que eu. Ela mereceu passar por cima de tudo e conseguir continuar. Mereceu cada instante de felicidade que lhe foi proporcionado depois. É uma mulher. Uma grande mulher!

*fictício

4 comentários:

  1. R: Vai ser a minha primeira opção no próximo ano :)

    ResponderEliminar
  2. r: Compreendo essa tua opção, também penso em fazer isso várias vezes. Porque grande parte dos meus textos são fictícios, mas as pessoas acabam por levar sempre para o lado literal (eu própria faço o mesmo noutros blogues), o que acaba por ser um pouco normal :)

    Muito obrigada!

    ResponderEliminar
  3. R: A cidade em si eu conheço (ou não fosse eu de lá ahah - ou dos arredores). Sempre foi isto que quis seguir e vai no próximo ano que vou conseguir. Tem que ser e tem!

    ResponderEliminar

Obrigada pela tua visita :)