quarta-feira, 29 de julho de 2015

Em dias de Saudade


Em dias de Saudade, percebeu que o que sentia agora já não era amor! Percebeu que o amor morrera e que o que reinava agora em si eram apenas memórias desvanecidas de um tempo que não tinha regresso!
Em dias de Saudade, ela desesperava, respirava fundo e voltava a si. Depois, fugia outra vez do calor de corações!
Em dias de Saudade, desistiu de relembrar o amor e de amar. Não conseguia fazê-lo com mais ninguém. Estava tão presa ao que já não existia que se tornou incapaz de ser feliz com outro alguém!

2 comentários:

  1. Prendemo-nos tanto às memórias, ao que já não existe, que nos impedimos de avançar e de viver outros momentos felizes.

    Adorei!

    ResponderEliminar
  2. r: Fico contente *.*
    Não tens que agradecer*

    ResponderEliminar

Obrigada pela tua visita :)