quarta-feira, 19 de fevereiro de 2014

Saudade


Foste a melhor pessoa que conheci na família. Um coração tão bom, uma alma tão límpida. Sei que poderia contar contigo se estivesses aqui. Mas não estás. E estás! E que pena para o mundo ter perdido uma pessoa como tu! Humilde, avó! Tu!
Fiquei branca como cal quando soube que não veria mais os teus olhos onde cabia o sorriso do mundo; sem fôlego quando pensei que nunca mais ouviria a tua voz, doce e ternurenta, capaz de mover mentes para outras realidades; murcha, sem vida, quando percebi que já não havias tu, que já não havia avó. E tanta falta que me fazes, tanta falta que me faz um coração como o teu.

Certamente, compreenderias o peso que sinto dentro de mim, como sempre conseguias entender.